Conferência de imprensa diária sobre COVID19 – 02 de julho de 2020

O Diretor Nacional da Saúde, Artur Correia, acompanhado da Presidente do Instituto Nacional de Saúde Pública, Maria da Luz Lima, dirigiu na tarde desta quinta-feira a conferência de imprensa diária sobre a evolução epidemiológica da COVID19 no país, e deu conta que, até às 15 horas de hoje, os resultados das amostras analisadas foram os seguintes:

Amostras analisadas: 257 a nível nacional, dos quais 236 no Laboratório de Virologia da Praia e 21 no Laboratório de Virologia de São Vicente.

Casos positivos: 34, sendo 19 na Praia, 11 em Santa Catarina, 2 em Santa Cruz, 1 na ilha de São Nicolau e 1 na ilha do Sal.

Recuperados: registou-se mais 14 novos casos recuperados nas últimas 24 horas, totalizando 643.

Casos suspeitos: 17 nas últimas 24 horas, sendo 7 na ilha do Sal, 6 no Tarrafal de Santiago e 4 em Santa Catarina.

Pessoas internadas: 641, sendo 307 na Praia, 210 no Sal, 69 em Santa Cruz, 46 em Santa Catarina, 3 na ilha de São Vicente, 2 em Ribeira Grande de Santo Antão, 2 na ilha do Maio, 1 em São Miguel e 1 em Ribeira Brava.

Pessoas em quarentena: nas últimas 24 horas, foi registado um aumento de mais 184 pessoas em quarentena, totalizando um total de 1690, com destaque para Santa Catarina com 628 e a ilha do Sal com 469.

Contabiliza-se, a nível nacional, um total de 19 pessoas em internamentos hospitalares, sendo 13 no Hospital Agostinho Neto, 4 no Hospital Regional Santa Rita Vieira e 2 no Hospital Regional Ramiro Figueira.

Resumidamente, o país regista, até o momento, um total de 1301 casos acumulados de COVID19, dos quais 643 recuperados, equivalente a uma taxa de 50%, dos casos positivos e 15 óbitos.

Relativamente à nova medida sobre o isolamento domiciliar, o Diretor Nacional da Saúde informou que desde o passado dia 1 de junho foi socializado essa norma com todas as estruturas de saúde do país. Avançou ainda que esta medida é abrangente apenas aos doentes assintomáticos, que não têm nenhum fator de risco acrescido, e que possuem condições sociais e habitacionais que lhes permitam fazer um isolamento que seja eficaz e que não permite a disseminação do vírus. “Há um inquérito social em que é feito por assistentes sociais e psicólogos, que inclusive visitam o agregado familiar para saber se as condições estão reunidas. Também temos uma plataforma informática onde analisamos isso, e o delegado da saúde local tomará a decisão, de acordo com a análise que fez desses dados”, destacou.

Também sublinhou que há um seguimento que é feito permanente junto dos doentes, através do telefone e também visitas presenciais, e que esses doentes devem comprometer-se a cumprir todas as orientações estabelecidas. Na mesma linha, continuou a explicar que caso o doente não cumprir as diretivas estabelecidas, suspende-se imediatamente o isolamento domiciliar e retoma-se o isolamento institucional.

Em relação aos bairros mais afetados na Cidade da Praia, Artur Correia revelou que, neste momento, são os bairros de Achada Santo António e Tira-chapéu, deixando assim para trás o bairro de Vila Nova, que até então tinha aparecido nas estatísticas como o mais afetado.

A conferencia de imprensa: https://www.facebook.com/ministeriodasaude.cv/videos/1176727909329526/?epa=SEARCH_BOX

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp
Artigos Relacionados