Conferência de imprensa sobre a COVID19 – de 24 de julho de 2020

A conferência de imprensa, desta sexta-feira, sobre o ponto da situação epidemiológica da COVID-19 no país, foi dirigida pelo Diretor Nacional da Saúde, Artur Correia.

Os resultados das amostras analisadas, até às 15 horas deste dia, foram os seguintes:

Amostras analisadas: 359 a nível nacional.

Casos positivos: 30, sendo 12 em Ribeira Grande de Santiago, 7 na Praia, 3 em Ribeira Brava, 2 em Santa Catarina, 2 em São Salvador do Mundo, 2 em São Miguel e 2 em Santa Cruz.

Casos suspeitos: 6, sendo 2 em Santa Catarina, 2 na Ilha do Sal, 1 em São Miguel e 1 em São Lourenço dos Órgãos.

Doentes ativos: 980, dos quais 699 em isolamento institucional e 281 em isolamento domiciliar.

Casos recuperados: registou-se, esta sexta-feira, mais 55 recuperados, dos quais 19 na Praia, 17 na Ilha do Sal, 10 em Santa Catarina, 5 em Santa Cruz, 2 no Tarrafal de Santiago, 1 em São Domingos e 1 em São Salvador do Mundo, o que soma um total de 1216 casos acumulados de recuperados.

Desse 1216 total de recuperados, os concelhos que registaram maior número de alta foram 3, com destaque para Praia que, até o momento, contabiliza 800 casos, seguido de Sal com 175 e Santa Cruz com 100. 

Resumidamente, o país regista, até o momento, um total de 2220 casos acumulados da COVID-19, dos quais 1216 recuperados e 22 óbitos.

O país registou mais uma morte, nesta sexta-feira, o que totaliza 22 óbitos, a nível nacional. Segundo o Diretor Nacional da Saúde, que aproveitou a ocasião para, em nome do Ministério da Saúde e da Segurança Social, endereçar as condolências à família enlutada, a vítima deu entrada no Hospital Agostinho Neto 7 horas antes de falecer.

De acordo com as informações que avançou, o país tem, neste momento, 17 doentes em isolamento hospitalar, sendo 7 no Hospital Regional Santa Rita Vieira, 7 no Hospital Agostinho Neto, sendo 1 sob cuidados redobrados, e 3 no Hospital Regional Ramiro Figueira.

Correia fez uma análise detalhada sobre a evolução epidemiológica da COVID-19 no país, e explicou que desde o surgimento dos primeiros casos, até o período de levantamento do estado de emergência, que aconteceu a 31 de maio, registou-se uma média de 60 a 80 casos, por semana. Entretanto, informou que a partir desse período, registou-se um aumento “brusco” de aproximadamente 180 casos em 4 semanas contínuas, seguido de um pico de 341 casos, na semana que terminou a 28 de junho, e uma queda para 273 casos, registado no passado domingo.

Ainda, na mesma linha, fez uma exposição pormenorizada da evolução da doença, nas últimas 4 semanas, nos concelhos mais afetados do país, com destaque para Praia, Sal, Santa Cruz e Santa Catarina.

Resumidamente, disse que a nível nacional a tendência parece estar em fase de estagnação.

O Diretor Nacional da Saúde referiu também que, neste momento, com o isolamento domiciliar, há uma partilha de responsabilidades entre as autoridades sanitárias e a população, em especial aquela infetada.

“É uma partilha de responsabilidade e é um voto de confiança que estamos a dar à população de Cabo Verde, que está infetada com a COVID-19, no sentido de se proteger, proteger os seus familiares e se confinar em casa durante esse período de isolamento. Isso representa um ponto positivo no aumento da nossa resiliência na luta contra a COVID-19 em Cabo Verde”, afirmou.

Para mais informação assista à video conferência: https://www.facebook.com/ministeriodasaude.cv/videos/1026972864386606

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp
Artigos Relacionados