O estudo de sero-prevalência da covid-19 em Cabo Verde revelou uma prevalência de 0,4%

Segundo os resultados preliminares apresentado na manhã desta quarta-feira 29 de julho pelo Instituto Nacional de Saúde Pública, a taxa de prevalência da infeção pelo SARS-CoV-2 na população cabo-verdiana é de 0,4%. A maioria da população cabo-verdiana é seronegativa para a infeção pelo SARS-COV-2. Isso pode significar que ainda há muita população suscetível, podendo acontecer outras epidemias associadas ao novo coronavírus num futuro curto.

Segundo os resultados dos 5327 inquiridos apenas 21 pessoas testaram positivo para o teste de diagnostico de anticorpos dos quais a maioria foi do sexo feminino.

Outros resultados demostraram que a camada mais jovem teve mais resultados positivos nos testes rápidos dai a suscetibilidade dos mais idosos. Dos inquiridos, 6 representando (0,1%) referiu ter tido um diagnóstico prévio de COVID-19 e desses, todos referiram ter sentimento de baixa autoestima associado com o diagnóstico.

O inquérito de sero prevalência sobre a covid19, foi realizado pelo Instituto Nacional de Saúde Pública em parceira com o INE, a OMS, UNFPA/UNICEF/PNUD, UNI-CV e a UNI-PIAGET. Decorreu em todos os municípios do país de junho a julho de 2020, contemplando indivíduos, com idade compreendida entre os 10 e os 80 anos.

De acordo com Maria da Luz Lima, Presidente do INSP com esta baixa taxa de prevalência é preciso reforçar as medidas preventivas para evitar o aumento do número de casos positivos da covid-19.

“Realmente, existe uma grande suscetibilidade da população cabo-verdiana e que é fundamental a implementação de medidas preventivas, porque a taxa de sero prevalência é muito baixa e, estando nesta fase de epidemia com a sero prevalência baixinha, isso implica que ainda há muita população que poderá vir a ser infetada.”

O Ministro da Saúde e da Segurança Social, Arlindo do Rosário, afirmou que esse estudo dá uma noção clara sobre a epidemia um “retrato de momento” e indica que a covid-19 pode demorar muito tempo em Cabo Verde.

“O número de pessoas suscetíveis com a possibilidade de apanhar o vírus é grande, até porque a epidemia é recente. Significa que não temos ainda a imunidade de rebanho, o que permitiria prever o declínio da epidemia e significa que esta pandemia é uma pandemia que pode durar ainda por muito tempo”.

Recorda-se que o INSP já tinha em junho de 2020 apresentado um outro estudo realizado durante esta pandemia sobre os Comportamentos Atitudes e Práticas da população cabo-verdiana sobre a covid19 em que um dos resultados apontavam que 99% ~da população tinha conhecimento das medidas preventivas a covid19.

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp
Artigos Relacionados